Shows do Locanda no Rio emocionam fãs!
08/11/2017 - 21h34 em Música

 
Ícone do rock progressivo dos anos 70, banda italiana levou ao Teatro Municipal de Niterói e à Cidade das Artes, na Barra da Tijuca - ambos no Rio de Janeiro -, seu show de 40 anos do seu clássico álbum “Forse le lucciole non si amano più”
 
 
Comemorando em 2017 os 40 anos do álbum “Forse le lucciole non si amano più”, a banda italiana Locanda delle Fate se apresentou no Rio de Janeiro em Niterói e na Barra da Tijuca.
Considerado uma obra prima no cenário mundial e uma peça mestra do Rock Progressivo Italiano de todos os tempos, assim como uma das maiores representatividades da escola italiana de Rock Progressivo, o disco foi lançado em 1977, pelo selo Polydor, e teve a produção de Niko Papathanassiou, irmão do famoso Vangelis.
Para celebrar a ocasião, a banda Locanda delle Fate fez uma turnê especial em comemoração à data e também como despedida a todos os seus fãs. De fato, 2017 LOCANDA DELLE FATE FAREWELL TOUR – BRASIL foi a última chance de ver a banda no palco, ressaltando que foi também a primeira vez que no Brasil e na América Latina. Assim sendo, uma oportunidade única e exclusiva.
Formado atualmente por Leonardo Sasso (Voz), Luciano Boero (baixo), Max Brignolo (Guitarra), Giorgio Gardino (Bateria), Maurizio Muha (Piano, teclados e moog) e Oscar Mazzoglio (Teclados), o Locanda delle Fate subiu ao palco do Teatro Municipal João Caetano, de Niterói, na noite do dia 10 de novembro, e no Teatro de Câmara da Cidade das Artes, na noite seguinte, para as apresentações que ficarão na memória de todo o público presente e na história do Rock Progressivo brasileiro.
Além de todo repertório do clássico álbum, a banda tocou outras peças de outros trabalhos, apresentando músicas que formaram os discos “Homo Homini Lupus” e “The Missing Fireflies” e algumas não gravadas até hoje. Uma bela, única e grande celebração a todos os fãs presentes!
O último concerto da banda será no próximo dia 9 de dezembro, na Itália.
Veja abaixo o cartaz de divulgação.
 
 
BIOGRAFIA
Contendo uma rica formação com duas guitarras e dois teclados, além de um excelente nível técnico, a Locanda delle Fate, originária de Asti, a banda surgiu na cena musical do progressivo italiano apresentando ricos arranjos de rock sinfônico, com influências do lado romântico de grupos progressivos ingleses.
Com o passar dos anos Forse le lucciole non si amano più se tornou uma referência do progressivo italiano de inspiração clássica através do cruzamento entre teclados, atmosferas lúdicas e ótimas frases vocais.O CD Live, gravado em 1977 e publicado apenas em 1993,trouxe um música inédita, La giostra. O grupo lançou ainda dois singles mais comerciais, em 1978, com formação reduzida em cinco integrantes, e em 1980, sob o nome abreviado de La Locanda, antes de terminar suas atividades.
Em 1996, a reunião de cinco dos sete componentes originais, sem o cantor Sasso e o tecladista Conta, levou à publicação de um novo disco saído em 1999 intitulado Homo homini lupus, um álbum com 11 músicas. O guitarrista Ezio Vevey colaborou, em 2002, na realização da ópera-rock La rete di Ulisse com o grupo Genoma, que incluiu também Nik Comoglio, no teclado, Cyrus Scognamiglio, no baixo, e Steve Abrate, na bateria.O outro guitarrista Alberto Gaviglio lançou um álbum solo, em 1981Cosa resterà/Vacci piano (Fonit Cetra SP 1754).
Em 2006, o grupo original se reuniu novamente em estúdio, com a intenção de realizar um novo disco mais próximo ao estilo do LP de 1977, mas a reunião durou pouco. Somente, em 2010, o histórico nome Locanda delle Fate voltou a rever por alguns concertos a formação que compreendia os membros originários do grupo. Leonardo Sasso, Oscar Mazzoglio, Luciano Boero e Giorgio Gardino, além do guitarrista Massimo Brignolo e o tecladista Maurizio Muha.
Para ouvir o lendário álbum “Forse le lucciole non si amano più” (1977):
  
 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!